quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Fomos Soldados


Combatentes, sempre presentes

Nossa pele se engelha,

O cabelo branqueia, os dias convertem-se em anos...

Fomos soldados de Portugal e não,

Soldados colonialistas

Como chama-nos alguns iluminados políticos

As nossas forças e fé não têm idade.

Atrás de cada conquista, vem um novo desafio. 

Enquanto estivermos vivos

Continuam a lutar

Se sentes saudades do passado,

Volta e reencontrar-te com os companheiros

Não vivas de fotografias e nem nos traumas...

Continua e não desistas.

Não deixes que os ossos se oxidam.

Faz que te tenham respeito

Quando não conseguires, junta-te a nós!

Junta-te aos teus velhos camaradas do exército ou da Marinha.

Autores: dois Combatentes 

Carlos Pombo (CCE307)

Carlos da Silva (Fuso)