quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Entre a neblina Dos mares do nort

Entre as neblinas...está uma
Uma barca perdida
Entre o horizonte
E a Ilha adorável
Lá na ilha estava feliz
O lar das monjas
É o meu refúgio sonhador
A inspiração como poeta
A origem dos amores
Vejo nas letras as minhas Donzelas
Que entre frases lá moram
Desfrutam meu doce amor
E bebem da tinta sagrada
Suspiram aguardando o meu amor
Sou alegria das letras
Todos dançam ao redor das minhas palavras
Com belas cantorias
Eu vejo a Virgem
Que vem sempre na primavera
Com a sua pureza e beleza
Que faz de mim o homem da sua terra.
Na minha escrita, meus poemas
E no meu livro nascem
As minhas belas palavras
O anoitecer vejo o meu amor
Eu escuto o seu cantar
Canções de amor
Cantando com as aves noturnas
As mais doces melodias
É harmonia em todo lado
Minhas palavras um dia será
Os livros dos sonhos
A Ilha inviolável do amor
Carlos J. Pombo

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Poema

Meus 16 anos de idade

Oh meu amor minha querida noite
Eu tenho ansiado pelo o teu silencio
Oh vida, oh tempo és longo
eu sou um jovem solitário
Quero ser depressa adulto
o tempo passa tão lentamente
oh vida, oh tempo, podem fazer algo por mim
Oh noite tu ainda és minha
Preciso tanto do teu amor…
Que o tempo e a vida e o vosso silencio
Mande depressa, amor para mim
Será que existe amor, creio que não
Eu nunca tive amor
Eu sinto que estou distante,
Não me quero afogar
Num mar de lágrimas
Oh noite, oh tempo, oh vida,
A vida é um castelo de vidro...
Manda para mim, amor de verdade
Mostra-me que me queres amar
Eu ainda preciso de ti
A vida e o tempo fizeram de mim o que sou
O puto imaginário.

sábado, 28 de janeiro de 2017

SER POETA




Deixa mostrar o que é ser poeta
É navegar no mar revoltoso
Navegar no mar de almas
Lutado entre as ondas e o vento
Sem errar e crer para não engolir
Na isolação e no silencio
sem grito de agonia, para não morrer
resistindo há fúria desse terrível mar…
Na madrugada, alcancei terra
Só vi areia e solidão
Na areia escrevi, em cada linha,
um pedaço do meu coração.
MD

Copyright "©"

domingo, 15 de janeiro de 2017

MINHA DOR, TEU CIUME


Eu te amo
Não te vás embora!
Não posso suportar
A nossa separação
Eu te amo!
Minha vida
será amargurada
tua ausência
partirá o meu coração
Porque sei
que eu ainda te amo
Não te vás embora!
 Meus traumas de guerra…
sei que sofres por minha culpa. 
Ajuda-me a ultrapassar meu sofrimento,
sou teu! Só te tenho a ti!
Porquê meu amor tanto ciúme!
Desta nossa desventura
Não te vás embora!
Porque eu te amo
Não me abandones por favor
Pois sem a tua presencia
eu vou endoidecer
Porquê tanto ciúme, porquê!
O que sinto não é paixão mas sim amor!
O ciúme dá cabo do amor.
Sei que existem muitas mulheres, ao meu redor.
Só a ti é que eu amo
Dá-me a mão com muito amor
Vamos começar
Um amor mais puro...
O ciúme não é uma prisão eterna,
tudo têm uma saída
Eu te amo
Letra > Carlos Marques de Pomba
Copyright "©"