terça-feira, 4 de novembro de 2014

É difícil explicar por palavras


Parece que sei qualquer coisas sobre o Universo Supremo
É difícil explicar por palavras
São inexplicáveis o que sinto,
Pois não possuem teorias
Que explique e são de natureza para algumas pessoas, contra toda a sua normalidade.
É como conhecesse desde sempre
Desde o ventre de minha mãe, o sol me bainhou,  
Olho para as estrelas para ver e contemplar,
Recebo suas energias
Como me sinto livre, eu sou também energia


Desde que eu nasci, conheço-as desde sempre
Por isso sou um solitário, é no silêncio que a inteligência renasce
Porque ninguém a credita naquilo que eu imagino
Naquilo que não se vê, mas sinto.
O que eu creio
São coisas inexplicáveis,
Tudo pode acabar
A vida não é apenas viver mas sim saber
Já nasci á meio século
Ainda estou a começar
Algo acontece quando estou bainhado pelo luar
Quando olho para o universo
Eu me pergunto a mim a mesmo
Porque que o homem é tao severo com a natureza
Há, de vir o tempo que o homem vai fisicamente
Confrontar o universo, confrontar planetas
A chuva de meteorites
Mas cuidado existem outros seres
Que são senhores do universo
A vida não é apenas viver mas sim saber
É o exterior me ensinam a refletir,
Não aceito manifestos, é duvidar…
Não tenho que ser o que os outros são
O futuro está em minha mente
A vida não é apenas viver mas sim saber
mdp

As coisas vulgares da vida

As coisas vulgares que passaram pela minha vida
Para mim não deixam saudades
Só as lembranças psicológicas é que doem
Não me faz sorrir

Ficarei na história
Da história da minha gente
Tudo o que eu fins em nome da Pátria
Pela humanidade ninguém se vai
Lembrar ou ouvir de mim

Somos escravos das nossas emoções 
A vida é toda cheia de emoções
à saudade que trago só,  
Pela ajuda humanitária e tudo isso
acabei por perder, o contrato acabou.



Há dias que penso em África marca a alma
E a vida da gente
Aqueles em que eu deixei
Não posso esquecer

Por vezes nas minhas escritas oiço
A chuva a bater no vidro
Levanto-me vou á janela
Deixo-me banhar pela chuva
Molhando o rosto
Gelado e cansado.
Saiu para a rua da minha cidade
Caminho á beira-mar

Ai... Meu pensamento perdido
Pelas minhas emoções
Eu grito à cidade
Meu coração é como fogo dum vulcão
Fogo do amor sob chuva
é tão poderoso que nunca morrerá.

A chuva ouviu- me sossegou
Meu segredo está na minha cidade
E eis por vezes ela bate no peito

Trazendo a saudade
mdp