sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A minha foto perfil


Estilhaços de meu cérebro
Obrigaram-me, ser criança adulta;
Não quero decorar o passado
nem quero ser Como o tipo de Hollywood
A cada ano que passa existi
Mais loucura
Não quero roupa clássica
Com os pés bem assentos no chão
Marcando a personalidade
Minha mente navega
Pelos e oceanos do mundo

Para vanglória a conquistar o futuro
Aliado da sabedoria
Com a sede de saber mais
Com experiências da vida e do tempo
Sem ter ídolo nenhum
Sou eu o meu próprio ídolo
Sensível delicioso e jovem
Atravessava o tempo de ser alguém
Navegando oceanos com enormes ondas
Deixava por vezes de ver o horizonte
O meu extinto era sobreviver
 Ao caos, das tempestades oceânicas
Navegando das mais fortes correntes da época
Serrando os punhos para vencer
Usando a mente para conquistar
Afastando das loucuras para vencer
Imaginações obrigatórias, para inventar
Dentro do silêncio, para pensar
Sempre buscando novos mundos
Mas também na mente transitava
Entre luzes transparentes de escolher uma mulher
Meu coração não queria, não!
Não, queria ficar preso
Ao coração duma jovem
Num universo inacabado
Grito no silêncio da madrugada
Não, quero ser prisioneiro a acorrentado á família
Não quero o gosto das maçãs de amor,
Nem queria navegar nas gôndolas Aveirenses .
Não quero estilhaçar a minha  mente
Essa dor constante, vazio intermitente
Além dos ventos laterais, continuo a navegar
Para vencer na vida
Nos buracos no caminho que engoliram meu choro
Nessas covas rasas cheias de espinhos
Cada vez mais o gosto poético
A canção chega ao fim, chega de repeti-la
O passado é passado
Em frente está o meu futuro
MDpombo