terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Máquina do Universo

Máquina do Universo
O Universo é um espaço escuro
Sem escuridão não á luz
É constituído pelo espaço e o tempo,
E todas as formas de matéria, incluindo todos os planetas,
Estrelas, galáxias, e os componentes do espaço intergaláctico,
E as suas partículas subatômicas.
Intervalos, distâncias, buracos,
Porosidade etérea.
Espaço vazio, em suma.
O resto é a matéria.

Estrelas, elas são enormes quentes
Explodem á toa e em parte
As estrelas dominam o universo.
O nosso destino e dos outros planetas
Estão ligado às estrelas
Algumas explodem e enchem o universo
Com poeira estrelar
Este caos é a matéria-prima da vida.
Cada átomo dentro do nosso corpo
Foi produzido por uma estrela
São as estrelas que fazem o nosso universo funcionar
Toda a vida começa nas estrelas.
Os sois são estrelas…
Só na nossa galáxia há:
 Cem biliões de estrelas,
Quando o nosso céu esta
limpo,
Só conseguimos ver três mil.
Há mais estrelas no universo
Do que gãos de areia na terra.
Nos somos um mundo dentro de outro mundo.
A maioria das estrelas e planetas estão tão distantes
Que não sabemos nada sobre elas.

mdp

terça-feira, 4 de novembro de 2014

É difícil explicar por palavras


Parece que sei qualquer coisas sobre o Universo Supremo
É difícil explicar por palavras
São inexplicáveis o que sinto,
Pois não possuem teorias
Que explique e são de natureza para algumas pessoas, contra toda a sua normalidade.
É como conhecesse desde sempre
Desde o ventre de minha mãe, o sol me bainhou,  
Olho para as estrelas para ver e contemplar,
Recebo suas energias
Como me sinto livre, eu sou também energia


Desde que eu nasci, conheço-as desde sempre
Por isso sou um solitário, é no silêncio que a inteligência renasce
Porque ninguém a credita naquilo que eu imagino
Naquilo que não se vê, mas sinto.
O que eu creio
São coisas inexplicáveis,
Tudo pode acabar
A vida não é apenas viver mas sim saber
Já nasci á meio século
Ainda estou a começar
Algo acontece quando estou bainhado pelo luar
Quando olho para o universo
Eu me pergunto a mim a mesmo
Porque que o homem é tao severo com a natureza
Há, de vir o tempo que o homem vai fisicamente
Confrontar o universo, confrontar planetas
A chuva de meteorites
Mas cuidado existem outros seres
Que são senhores do universo
A vida não é apenas viver mas sim saber
É o exterior me ensinam a refletir,
Não aceito manifestos, é duvidar…
Não tenho que ser o que os outros são
O futuro está em minha mente
A vida não é apenas viver mas sim saber
mdp

As coisas vulgares da vida

As coisas vulgares que passaram pela minha vida
Para mim não deixam saudades
Só as lembranças psicológicas é que doem
Não me faz sorrir

Ficarei na história
Da história da minha gente
Tudo o que eu fins em nome da Pátria
Pela humanidade ninguém se vai
Lembrar ou ouvir de mim

Somos escravos das nossas emoções 
A vida é toda cheia de emoções
à saudade que trago só,  
Pela ajuda humanitária e tudo isso
acabei por perder, o contrato acabou.



Há dias que penso em África marca a alma
E a vida da gente
Aqueles em que eu deixei
Não posso esquecer

Por vezes nas minhas escritas oiço
A chuva a bater no vidro
Levanto-me vou á janela
Deixo-me banhar pela chuva
Molhando o rosto
Gelado e cansado.
Saiu para a rua da minha cidade
Caminho á beira-mar

Ai... Meu pensamento perdido
Pelas minhas emoções
Eu grito à cidade
Meu coração é como fogo dum vulcão
Fogo do amor sob chuva
é tão poderoso que nunca morrerá.

A chuva ouviu- me sossegou
Meu segredo está na minha cidade
E eis por vezes ela bate no peito

Trazendo a saudade
mdp

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

MEU PROVÉRBIO


Ninguém pode dividir a humanidade. Ela é composto inteiramente de feminilidade e masculinidade. Não há as diferenças entre homens e mulheres. Humanidade é junta com os homens e mulheres, deve ser transcendido. 

Simplesmente os homens de hoje não são suficientes, o que é necessário é um novo "Homem". Sim já existe o começo do novo homem ele já nasce com a sua programação cerebral idêntica e superiorizada aos dos computadores!

 Uma vez que a mulher terá menos em comum com o homem, em física. A mulher actual tem com uma ameba. Desde o Homo sapiens não consegue alcançar os seus objetivos para os quais elas esforçam-se. 

Para o homem moderno não há nenhuma razão para ele ter um sexo. "A vida sexual deve ser reduzida para apenas servir a continuidade da espécie". O novo homem não terá que rebaixar-se ao sexo publicitário e pornográfico, a fim de reproduzir, para satisfazer seus prazeres frios sem escrúpulos, trazer ao mundo crianças sem perspectivas portanto, o novo homem será assexuado. 

Mentalmente 
O novo homem vai ser o Super Cérebro, ter em sua mente fórmulas, matemática e dados, ele vai conquistar o universo mesmo para muitos que as minha preverbisias seja uma brutalidade. Mas para todos, homens e mulheres as sua fraquezas desaparecem, uma nova doutrina surgirá que deve ser ensinada, para que possamos chegar a uma época da humanidade superior. Assim lentamente a população mundial será reduzida para manter a estabilidade do Planeta. 
Nos novos mundos ( Planetas) conquistados pelos humanos a reprodução da sua espécie será acelerada 
mdp

domingo, 21 de setembro de 2014

O burro



O burro estava
Comer erva fresca
O burro caiu, na vala
E eu ajudei a levanta-lo
O burro sentiu-se rei
E disse-me estamos
Mortos amanhã!
Eu, respondi:
O teu mal é fome
Rei tédio
És o mês de maio


 Nós somos a vida
Vida é uma rosa
A morte é a semente feia
Mas lá dentro dessa semente
Esta uma linda flor
O amor é uma rosa
Seu perfumo se mistura com o ar
Para alegrar alguém
Com alegria e  felicidade
mdp
  

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

É LINDO O MEU IMAGINÁRIO





Fui ao mar, fui nadar
 Atirei-me á água não me afoguei
Rilva a Deusa do mar
Ela me protegeu
Linda! … Sua Túnica da cor do mar
Seu cinto da cor da areia
Linda nunca vi outra assim
A Deusa pairou em meu redor
Mergulhei nas profundezas do mar
A deusa radiou luz sobre mim
É lindo imaginei este encontro
Fui ao mar não vi nenhumas sereias

Mas sim a deusa do mar. 
mdp

terça-feira, 20 de maio de 2014

MEU CORAÇÃO





Meu celeste grito.

Rompe as estrelas celestes

Folhas ao vento voam...
Sem respostas grito, grito...
Fico rouco...
Situo-me na mais alta
Da mais alta montanha...
Pensando no coração feito por suas mãos
O mar canta e suas ondas beijam a terras
Se forem feliz
Encantam  meu coração
mdp

domingo, 2 de março de 2014

A Bio máquina do Tempo


Caminho levemente                   

 Numa estrada com espinhos, escabrosos,
 Sem que eu me canse
O meu cantar se mistura
 Ao som de meus passos
 Nas árvores, os pássaros
Cantavam comigo
O sol se escondeu,
Perto da escuridão,
ainda vejo as montanhas
A máquina do tempo se abriu
Sem emitir sons
 Nem nenhum clarão
Melhor que o tolerável

Continuo-o pelo doloroso deserto,
Por vezes minha mente
Se exausta de mentar
Toda a realidade que transcende
 A própria imagem debuxada
 No rosto do mistério,
Para além do universo
Abriu-se em mim a calma pura,
Da minha natureza mítica das coisas,
Como atestasse o meu ser,
Sobre infinito deserto,
A máquina do tempo acelera:
Essa viagem através do tempo
 Sobrante esta biociência,
 Sublime e formidável, mas hermética,
A vida não tem explicação,
Para mim é primitiva
Por outro lado eu compreendo.
Revela-se pesquisas ardentes
Eu estudo o biossistema do meu corpo
E do meu invisível
As mais soberbas pontes,
Desfiladeiros da vida,
Que na minha mente se elabora,
 Que penso é logo atingido
Tudo o que eu defino como ser
Se propaga pelo universo
Transmito através do eta
Volta á terra e pousa nas mentes
Mentes com as mesmas faculdades
Ou ainda mais, se propaga a outros seres.
Propagação aos planetas
Até aos mais distantes terras
mdp

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Fui um pau de fosfor




Voz traz a noite, o rio Lisboeta

Cantei a luz de um sol escaldante e dor

Foi o amor que deixei para traz 

Há quanto tempo deixei, fui-me  embora

Para bem longe, pra o outro lado do mar não se quimou
Fui como o fogo.
A vida é como um pau de fósforo
Sou ao mesmo tempo
Centenas de fósforos
Mas na verdade sou só um
Pela vida fora.
sou um pau de fosforo
de queimado
Tudo se apaga
E reina o silêncio
Conciliável 
mdp

domingo, 26 de janeiro de 2014

A AMOR E DOR

Meus pais

Por vós dou a vida
Há sempre alguém
Entre nós os filhos
Que não vos quer perder

Ó mãe, ambos os filhos,
Teus filhos vão partir
Por essas terras de além-mar
Quem sabe se tornamos a vir

A despedida é uma amargura
Que parte corações
Mãe, é a nossa amada
E tantos choramos por ti

No vosso lar
Quantas vezes tivemos desemparados
A falta que nos fizeram
Foi difícil de suportar
Só a vida sabe mais que ninguém
Se voltarmos vamos continuar ama-los

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O tempo passa pelos homens A vida grita


O tempo passa pelos homens
 A vida grita que nada mudou,
A mesma infelicidade de antes
Reina hoje nada mudou
Oiço a voz do povo a gritar
Eu sinto o mundo, sinto a  dor
No mesmo como florestas queimadas sem perfume,
Mesmo no seu olhar, aquilo que o tempo guardou
Me invade a razão, toma o coração e a me faz lembrar,
Nos tempos das perseguições e tortura…
Só me resta o amor, é o que me dá orgulho,
Tento esquecer, mas o passado está de volta
Começo a tremer, quando oiço os vampiros a falar
Até me arrepio.
Tenho medo que o povo fique  na insolação
Porque eu também sou povo.
Imagens dominam o meu pensamento
A nossa luta é mais que o orgulho
Só uma grande luta pede que não volte o passado