quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Gosto de me ler.


O romanço da minha vida
 Está estampado na minha alma,
 Vou reflectido o percurso do meu ser.
Em poesias e vou riscando com a minha caneta
Tinta sobre o papel.
Faço traços,  linhas cores suaves
 Sonhos, tentativas de exercer um mundo melhor.
A minha vontade de caminhar com todos os meus esforços.
Minhas energias fazem que eu abra
A minha mente e derramo sobre o papel
A minha imaginação
Desenho sobre aqueles que me querem ler.
 Houve um tempo que deixei os escritos
Fui para o outro lado do mar
África ouvir os sons tropicais,
Fiz voluntariado no outro lado do mar
Vi muitas gentes que precisaram de mim
Foi nesse tempo que a lua chorou
Mas sempre lutei para enfrentar as nuvens escuras e pesadas.
Que tapavam a sua luz
Perdi quatro companheiros a luta é mesmo assim!
A lua ultrapassou os obstáculos
A escuridão das nuvens pesadas desapareceram-

O sol queimou meu rosto com o suor salso.
Olho para o horizonte vejo o centelhar,
Entre o céu e o horizonte.
O braseiro que  me olha faminto.
Minhas pulsações não liberam.
Ânsia de alcáçar meu objecto
Escrevo o decorrer das nossas vidas,
Para ocupam  por vezes o meu vazio.
 Meu espirito viaja pelo universo
Entro no mundo de Rilva, onde guardo a esperança?
Á sonhos em minha morada sagrada?
Riva a Deusa dos Rios e das Florestas.
Sua voz suave s relaxante
Passeio com ela no seu jardim falamos e cantamos
Meu sabor da nossa amizade,
Seu cheiro, como o perfumo das rosas,
Ela, Sorri, eu fico radiante com a sua amizade.
Nossa amizade é interna, profunda e verdadeira.
Escrevo com a minha magia, meu contentamento.
Regresso ao meu berço de embalar,
Entro no nosso espaço aéreo  
Olho para baixo eu vejo o tejo.
Minha, Lisboa meu berço de embalar
Procure novas ideias e ideais.
Prossigo o caminho da sabedoria,
 Ainda que nada fique para trás
Escute os sons da água, o cheiro das flores
Os meus neurónios em movimentos perfeitos
 Trabalhado, com o aprazível ver a minha mente
Desenhos como se fossem ao arco ires no céu,
As mais lindas cores.
Amo, abrir a imaginação e derramar o melhor da vida.
Quero puder levantar o olhar,
Termino de me ler.
MDP

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Minha família e Irmãos, a sociedade em miniatur


Amar a família, meus irmãos e suas famílias, é semear para que eu tenha uma boa colheita.  
Sou um vulcão, que de tempos em tempos acorda,
Expelindo lavas das minhas profundidades
Queimando o que não me faz bem
Sou Fogo, Ar e Agua jorrando a v
ida
como as lavas bravias corre pelos desfiladeiros
 Com a anciã a caminho do oceano,
Correndo para liberdade
Liberando minhas energias vital,
mas também sou estável e produtivo
sou como a árvore que com raiz se fixa ao solo,
e que dá frutos maravilhosos.
Suas sementes que anda pelos trilhos da vida.
Em sintonia com a natureza o nascerem de uma nova árvore
E o desabrochar das suas Flores, sou fruto duma.
Sou fruto de Deus
Sou um pequeno deus, uma gota, do grande Deus,
Tenho poder Sou mutável como o Ar,
 Mas também sou a brisa que desliza pelo rosto daquele que eu amo.
Sou a faculdade de conservar
Aqueles que me viram nascerem
E aqueles que eu vi nascerem, indirectamente
A faculdade de conservar
E de evocar o estado de consciência
 Anteriormente e agora,
Experimentados no tempo e na vida
 Sou um trabalhador intelectual,
Agradeço ao meu pai que direccionou-me para o arranco.
Os estudantes da universidade Técnica de Berlim
Educaram-me, cultivaram-me
Abriram as portas do grande universo para me involuir
São memória de ideias como tais nunca esquecidas
É apenas uma função particular da inteligência.
A memória fixa as lembranças
são temporárias, que não se fazem presentes no dia-a-dia,
Mas dentro de mim existi-o e ainda existe a necessidade de subir na vida,
 Aflora mostrando tudo até mesmo o que gostaria de não mais lembrar. Minha vida de criança não foi fácil, não me senti amado e depois a guerra!? A mentalidade tradicional e conservativa asfixiava-me.
Sou rebelde desde o ventre de minha mãe!
 Sou rebelde, um vulcão, isto é notado em mim. Que se subdivide em intensidade, uma lembrança que se fixa e se conserva.

As minhas, ideias e os sentimentos se fixam e se conservam quanto mais estivermos ligados aos meus manos
.Amor é intensa emoção, é sentimento e compaixão
Meus irmãos, estão vinculados socialmente na minha mente.
Minha mana sofre com a prepotência e com o machismo do esposo, também nada facilita. Diz ser um socialista? mas não faz a revolução no seu lar!
A minha vocação, está na minha mente é algo que aflora a minha consciência, sem que nada pareça evocá-la, mas, provavelmente está ligada a algum dos elementos da minha família e meus manos. Somos todos diferentes como os dedos das minhas mãos. Mas unidos.
Meus sentimentos e minha crença está expressa na minha linguagem minha cultura é tudo o que aprendi nos três cantos do mundo. A minha alta cultura é a expressão da minha imaginação sobre aquilo que eu escrevo e o que pinto.
As minhas dimensões da multicultural incluem a Fé não religiosas e o que acredito, a verdade sobre o universo. Não sigo nenhumas instituições religiosas, mas sou crente. Creio naquilo que não se vê a “Fé”
 MDP

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Uma opera para minha esposa



Juwi!
Dorme meu amor, dorme
Dorme meu amor, dorme
Descansa a tua mente
Estás a abalada
A bandeira estava ao avesso  
Ouvistes o silêncio, do nosso povo
Também Vi e ouvi o ringir dos dente.
 Sossega meu amor ― a porta está trancada;
Os fantasmas estão no castelo assombrado
Tens medo.
 Fecha os olhos meu amor
Os vampiros ainda saem há meia-noite
Pelas janelas do castelo
Voam por ai a sugar o sangue do povo
A morte está deitada sob o lençol deles
E pode leva-los como a aguia a sua presa 
 O poema que te estou contar até ao teu adormecer
Há ‘uma linha que separa
Os que brincam com o nosso sangue
Derramado nas cores da nossa bandeira.
Os que lutam  pela bandeira
E defendem o nosso povo
Dorme meu amor, dorme
Há manha quando a acordares,
Vais ver a um, novo dia.



En portugués es>  Dorme  meu amor duerme, 
La traducción al español es un error!
Traducción correcta> No es mi bebé, pero> Mi Amore.
 MDP

SOU EU PORTUGUÉS OU ALEMÃO!?


Reformei-me, estou a tentar viver,  até morrer, neste Estado da União Europeia que se chama Portugal, mas não consigo. Não consigo encaixar na sociedade portuguesa. - Um governo que explora o seu  povo e lança-o na miséria; Um povo que não reage a nada. Só sabem lamentarem-se… quando na vida, uma porta se fecha para nós, há sempre outra que se nos abre. Em geral, porém, as pessoas ai olham com tanto pensar e ressentimentos para a porta fechada, que não se apercebem da outra que se nos abriu.

Um governo ingrato, que me roubou a minha juventude e que me traumatizou a minha alma porque eu sou um ex-combatente, andei nos anos 1962/64 na guerra colonial em Angola.

Passei por duas guerras, a Guerra colonial e a guerra Angolana! Fui chefe da desminagem da Província de Benguela, anos 1994/95/97 sentia-me orgulho por participar na remoção de minas e chefe  de  equipa… por conta duma ONG Alemã. Em 1997 estive novamente em Angola com outra ONG Alemã, como interpreto, andei pelos Ministérios angolanos com as chefias de várias organizações. Todas estas minhas experienciam que eu tenho fez bem á minha alma e ao stress, pós trauma porque diminuiu o meu sofrimento.

No voluntariado em Africa em geral vi muita miséria vi crianças e adultos só com a pele e osso, a viver na rua e nos jardins. Ali vi a realidade do mundo que ninguém se interessa.
Nos países devolvidos vêm a miséria e os conflitos armados sentados nas sua poltronas e sentados há mesa nas refeições, vêm a desgraça e o sofrimento dos outros.

São consumista compram, Compram! Passado dum mês e até um ano Lixo porque já deixou de ser interessante. Esquecem-se da miséria que existe no nosso mundo. Pelo menos um donativo dum Euro por mês dava para fazer milagres, porque seriam milhões de doadores.

Não vale tentar ajudar aqueles que vivem nos países desenvolvidos, porque eles não ajudam a si mesmos; não vale apena tentar ajudar aqueles que não ajudam os mais necessitados.
Existem muitas pessoas nos países desenvolvidos que não sabem viver sem depender dos outros. São como certos animais, que só vivem bem quando tem dono.

Em África no voluntariado, arrisquei a minha vida em plena Guerra civil Angolana. Meus amigos e conhecidos fizeram tudo para que eu não fosse, criticaram-me e disseram-me que eu não ia voltar, por causa do conflitos entre as duas fracções. Nunca pensei pelos outros, Gosto de pensar sempre por mim; Valem mais todos os meus erros, mas sei que são meus, cometidos por mim. Trabalho e produz para o mundo e para mim mesmo.

Este é o Livro da vida que me fala, Este livro é um amigo que me espera, e que me ensina; é uma centelha divina que me faz ser melhor e solidário

Todos aqueles que vive á grande e á francesa, nos seus palácios de ouro, e que repousa na sua cama branca com efeitos e nas suas poltronas a verem o dinheiro a correr á custa da desgraça, com todo o conforto, estes  adormeceram e não sabe o que é a realidade do mundo, porque estão dentro duma bola de cristal; estão fora da realidade. Quem não passou pela dor e por uma guerra; e não sentiu o fio da desgraça, quem não passou pelos caminhos espinhosos da vida e não sofreu, não sabe dar o valor, passou pela vida e não viveu. 

A dor é uma advertência, assim como os pequenos prejuízos nos negócios, nos ensina a ser prudentes." Eu sou como as árvores quanto mais podarem os meus ramos; emitindo o meu sofrimento, quanto podado, com mais vigor eu, refloresço a minha vida e a minha informação genética do meu corpo se penetra no meu sangue e no cérebro e transmite a traves do éter ás nova gerações… Sim os impulsos do meu cérebro através do espaço se penetram nos outros.
MDP

domingo, 20 de outubro de 2013

Ó Deus!


Se um dia alguém estiver perdido pelas veredas da sua alma, Ou sulcado pelo peso da sociedade...
Com vontade de sumir,
Caminhado pela vida insatisfeito consigo próprio
O mundo não tem culpa da sua infelicidade; Porque o homem é aquilo que pensa!
A energia universalestá dentro de todos os seres
Com ela podemos mudar o nosso mundo interior
Com ela, queremos a cordar! Entrar na realidade
No nosso mundo!
No teu mundo alegre, comunicativo,
Assiste as estrelas, que brilham e tremem
Com amor e esperança.
Nem sempre os nossos sonhos se realizam,
Mas sim com a nossa imaginação temos esperança Começamos com uma atitude certa,
Com a esperança que existe dentro daqueles que acreditam em ti!

 Eu próprio, vejo a esperança presente em mim,
 Insisto de ser feliz e ter esperança
 Não quero ser vítima de sonhos adiados,
 Sim ter a esperanças imaginável,
Eu tenho dentro de mim,
Um comando de sobreviver e resistir á vida.
Tenho que ser paciente e persistente para conseguir
 O meu caminho espiritual esperar o momento certo
 A coragem de não me decepcionar com o que encontro.
 No meu potencial interno que está pronto para eclodir
 Como uma estrela brilhante que brilham e tremem
 De amor e esperança.
A luz a se acende no meu interior, meu existir,
Sim coragem de me ver por dentro,
De saber quem sou eu,
 Para ser guiado por essa estrela brilhante
Reconheço a luz que me ilumina
Autor: MDP

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

SÓ VEJO ROBÔS NO MEU MUNDO



Continuo observando o mundo em que vivo,
Acredito no Amor
E daquele que preciso de ignorar
Erros e conviver com várias curvas.
Todos estamos sujeitos a sofrer de amor.

Convivo, sobrevivo,
Meu Português como era lindo!
A geração mudou tudo muito rápido.
Falar, conviver, resolver, gastar, criar, trabalhar
Tudo virou! Geração preguiçosa
Ninguém sabe fazer um texto
Que fazer? Deixam tudo acontecer.
 Incentivam o jornal de rua,
A linguagem básica dos estudantes
Quando chegar os currículos e os concursos,
Como irão escrever?
Coloquialmente não irão passar!
 Deviam fazer algo produtivo  para os preguiçosos.
Eu vejo e percebo a realidade,
Vou sair dessa sintonia que não leva a lado nenhum
As pessoas já não se relacionam mais
 Não querem sair do conforto,
 Preferem viver, julgam que não vão morrer
Estão só precisão da televisão para lhes darem a mão.
A televisão é o seu guru
Os jornais só para limpar o cú!
Águas turvas com fluor que correm nas torneiras
 E escorrem nos cérebros das pessoas
Suas mentes devaneiam
Cada vez o mundo está mais vazio,
Só vejo Robôs no meu caminho!...........
MDP

ME CRIEI LIBERTO




Me criei solto, correndo pelas muralhas do tejo
Gritando pela deusa do mar
Extraviei sonhos e mágoas
Talhei caminhos pelo Monsanto
Sem amor,
O vento levou meu grito de tristeza
Até Berlim
Rondeei noites de invernia
 Um tempo que foi verdade e a cada aurora rebrota
A minha vida passa e o tempo traça
Depois faz abanões no corpo

Nasci na Ajuda, perto de Dom Manuel
Sou Lisboeta, meu pago retracta a beleza
A vida é um romance real
Minha vida vai passando e vai passar
Ó vida, ó tempo que me enchem de vida
De surpresas, de beleza
De encanto, e de receios! 
Minha vida é um romance...

Morre lentamente quem é escravo
Todos os dias o mesmo ritmo de trabalho,
 Quem não muda, fica burro
Quem não se arrisca não petisca
Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

PAI – MÃE – VIDA,



MÃE É VIDA,
É a minha protecção,
Tu és minha vida,
Teu apoio, minha saúde,
Minha proteção.
Preocupaste com todas
As minhas necessidades
A perfeita satisfação
Tu és a minha inspiração.
Tu me proteges
Me guardas no perfeito AMOR.
Minha Divina Consciência 
Hoje que estão velhinhos
Quando escuto e os vejos,
Cada vez estão 
Mais perto do meu espírito
E meu coração mais e mais receptivo.
Hoje vocês confiam no meu ser
Hoje a vossa vida aos meus cuidados.
Vocês são as raízes do meu ser
MDP



Este poema é uma homenagem a todas as mães do mundo.
Apesar da minha não ter sido carinhosa para mim, mas sempre amei a minha mãe, como filho e moralmente foi o meu dever.
Seja qual for, as mães, preferem sempre morrer antes dos filhos
Mães vivem. Especialmente só para os filhos. Nunca Deixa apagar a luz de protecção, irradiante, intensa e mensageira.
Mães vivem. Enquanto houver alguém que precise delas, mas sentem-se infeliz na sua amargura porque os filhos saíram do seu ninho. A vida é mesmo assim.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Ó GENTE DA MINHA TERRA



Ó gente da minha terra
Fome e miséria eu passei
Virei-me contra tudo e contra todos
Era jovem e nunca percebi
Essa tristeza que trazia
Com os traumas da guerra
Virei-me contra ti.
Fugi para Berlim
Com amor me recebeu
Esta querida mãe adoptiva
Dedicou-se sempre a mim
com  amor e carinho
Embalou. fez de mim:
Duma criança um homem
Já não me sinto triste o meu cantar
Ó gente da minha Lisboa
Agora é que eu percebi
Este amargo que trazia
Não foi de ti,
Mas do sistema que recebi
Ó gente da minha Lisboa
Agora é que eu percebi
Dessa amargura que eu trazia
Foi do sistema que eu recebi

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

O AMOR, E SENTIMENTOS


Somos traços não geométricos, .
Não temos caminho certo, .
Nem amor certo .
O amor, esse sentimento .
Que balança entre o sol e a sombra; .
Entre sorriso e dor; .
Entre querer e não querer. .
Não podemos esquecer .
Os triláteros amorosos .
Ou mesmo os espinhos .Pois é! -
O amor pode escrever uma história real.
Também em conhecimentos exactos. .
 Há isolamentos e bêbedos .
Completamente isolados e sonolentos .
O amor se esvaziou .
Moleza pelos quatro cantos do mundo?
Será que eles vêm .
O mundo quadrado  com cantos?
Lembre-se que no X factor o auditório repleto de gente .
Gritam, desiguais gritantes.
Mas cada um está no seu mundo, .
Tens que viver de acordo com a realidade.
Fora desse teu quadrante,
Abandona esse canto do teu quarto .
Há campos, vilas, cidades, há comunidades,
Para amares e te libertares.
Não te deixes mofar, .
Renasce e trace as tuas linhas, .
Teu desenho, tua imaginação .
Círculo de amigos, seduz uma namorada, .
Uma figura bem inteligente
Mas não te iludes com formas perfeitas .
Corpo perfeito mente vazia .
Lembra-te que a vida é uma historia real
Feitas por todos nós. .
Redita: O Amor exacto
É aquele que você precisa ignorar erros .
E conviver com várias curvas. .
Todos estamos sujeitos a sofrer de amor.

domingo, 13 de outubro de 2013

A MINHA VOZ



Gostas da minha voz
Tenho uma voz reconhecível
Dentro de todas as outras
Dizem que é sábia
Por vezes suave e meiga
Há jardins em minha voz?
.
Meiga, doce, amorosa
Falo piano para aqueles que me amam  
Aceitam conforme eu sou…
Mas nem todos têm o poder de ouvi-la
A minha voz é uma linguagem que o mudo pode ver
E o cego pode ouvir

sábado, 12 de outubro de 2013

LINDA E CHARMOSA


Quem é que vejo nos nossos ecrãs
Deixando os cabelos compridos até aos ombros?
Transformando nosso sol em luar.

LINDA E CHARMOSA
Cativa amizades e sonhos
Tens um corpo escultórico
Perfeição da natureza
A provocar-nos amizade e amor.
Essa que deixa transparecer a alegria
Através de seu lindo sorriso.
Esse anjo que entre nós
É linda e charmosa
Que cativa o coração dos poetas
Ao se apresentar assim tão formosa.

LUTAREI ATÉ AO FIM


LUTAREI ATÉ AO FIM
Nunca pensei pelos outros,
Gosto de pensar sempre por mim;
Valem mais todos os erros
Vírgula ou pontos finais
Ou os meus trabalhos manuais
 São meus, cometidos por mim.
Trabalho e produz
para o mundo e para mim mesmo.

Os conselhos dos outros
Servem para pensar
E para que me involuir ou que me oponha.
São os meus pensamento me pertence.
Meus pensamentos, minhas emoções
Os sistemas de controlo
Aprisiona a vida aparentemente sem saída.
.
Aqueles que não concordarem comigo;
Respeito os meus pensamentos e oposição.
Os que estão por mim são porque esses,
Guardam-me no fundo das suas almas
 A vida e o tempo são os nossos professores.
O respeito, aquilo que é indispensável:
além do pão, o trabalho e a acção.

Os pensamentos da humanidade
São como qualquer material:
Constroem, soterram e matam.

NUNCA PENSEI PELOS OUTROS







O tejo que me viu nascer
Eu, menino e moço tenti subir,
Subi alto, embora seja pequeno?
Ó tejo que me vistes partir
Para terras de além-mar. (Guerra)

Berlim mãe adoptiva
Instruíste-me
Fizeste de mim um animoso
Deste-me sabedoria e valor
Spree ( Canal) que me viu crescer
Valorizo-me porque sabe o que faço.

Não devo ter vergonha
Das minhas próprias tolices
Porque são elas
Que valorizam a minha sabedoria
São sinais para que não mais se repetem.
A minha capacidade escolher novos rumos

Sinto impulsos da minha alma,
E vontade de saber
Não gosto do jornal da rua
Que vem prontinho.
Estão á margem do saber
Quem medita alcançará o saber.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

PÔR DO SOL

No resplendor do por do sol

Neste preciso momento
Abro a janela
Olho para o horizonte
Contente, oiço os rouxinóis
Esse cair do dia me expira
Escrevo um poema
De primavera
Tão doce suave e terno
Oiço música de fundo
Eu, renasço  
Minha alma se purifica
Eu chamo todas as Deusas
Para me iluminar
Eu chamo para me libertar
Abro, alegre cérebro
A luz preciosa
Que fará florir a minha mente
Momento de alegria,
Em que escuto
essa maravilhosa melodia. 

terça-feira, 8 de outubro de 2013

CRESCI SÓ

                                                                                                                                                                                                                                           

















Olhei só
Brinquei só
Aliás, havia um ser invisível
Que falava comigo
Sozinho me fiz jovem
De jovem fiz-me homem
Hoje, não me arrependoAs minhas desculpas
Se a imagem utilizada por mim esteja a prejudicado alguém, o meu objecto é divulgar aos outros o que eu sei ou o material de que disponho. Mas estou sempre receptivo a reparar qualquer falha. Aqui não se trata de pedofilia mas sim ARTE


ESPAÇO PARA A FELICIDADE


Há sempre espaço
No nosso interior para a felicidade
Se não estás satisfeito com tua vida,
Depende da tua força mental
E do teu raciocínio
Ou se sentires que há algo te está  faltando
Fala ao teu coração!

Mesmo que simplesmente aches que,
Deve haver mais na vida do que isso.
Medita! Chama a força do universo
Os caminhos da vida são compostos
Por coisas e por pessoas,
Isso é, só vai crescer  se as pessoas
Tiverem Fé!
E se sentirem livres1
Poema MDP

A FORÇA DO UNIVERSO


Eu chamo a força do universo
Que trespasse todo o meu corpo
Eu chamo a força
Força da natureza
Para, a firmar-me
Chamo as minhas células
Eu, chamo o átomo dentro de mim
Chamo o sol o ar, a água
Eu, chamo a terra
Eu, chamo o fogo
Porque eu sou a luz
Eu chamo a força do universo
A força do universo para regenerar
Todas as minhas células
Eu também sou a força
Eu chamo o vento
Para levar os meus pensamentos
 Para além mar
Eu chamo a força do universo
Para me purificar
Para que aja paz dentro de mim
Eu chamo o vento
Para levar o meu amor
Eu chamo o vento para me levar
Eu chamo as estrelas para me guiarem
Eu chamo a força do universo
Para me renascer 
Eu chamo Rilva Deusa dos rios e das florestas
Que purifique a minha alma
Eu chamo todos para me iluminar
Eu chamo Rilva para libertar
MDP

O VERDADEIRO HUMANO




O verdadeiro humano
Depende da sua força mental
E do seu raciocínio.
Sua áurea como escudo
Saberá a invencibilidade
Estará em defesa do corpo,
E a possibilidade de excluir todo o mal.
Buscareis o equilibro
Com o universo...
Assim como ar, o sol e a Agua
Tendo a energia e vigor do Universo
Tendo o cuidado de não te destruíres
Ser persistente e sábio
Saber andar como a água que desce
Pelos desfiladeiros das montanhas
Nos caminhos tortuosos
E mais estreito da vida
Passar sem medo todos os obstáculos
Coragem e força para Superar e seguir em frente
Subireis os rios e descerás precipício
Assim ganhares mais foça, mais vida
Entenderás que a tua Fé vencerá
Assim desenvolverás o teu espirito
E será com a tua vontade um ser Feliz
MDP