terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O tempo passa pelos homens A vida grita


O tempo passa pelos homens
 A vida grita que nada mudou,
A mesma infelicidade de antes
Reina hoje nada mudou
Oiço a voz do povo a gritar
Eu sinto o mundo, sinto a  dor
No mesmo como florestas queimadas sem perfume,
Mesmo no seu olhar, aquilo que o tempo guardou
Me invade a razão, toma o coração e a me faz lembrar,
Nos tempos das perseguições e tortura…
Só me resta o amor, é o que me dá orgulho,
Tento esquecer, mas o passado está de volta
Começo a tremer, quando oiço os vampiros a falar
Até me arrepio.
Tenho medo que o povo fique  na insolação
Porque eu também sou povo.
Imagens dominam o meu pensamento
A nossa luta é mais que o orgulho
Só uma grande luta pede que não volte o passado