sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

IPANEMA



Olha que coisa mais linda,
Estrela que brilham no universo
Cheia de resplendor
É ela garota, que vem e que passa...
Deixa o seu rasto pelo universo
Num doce balanço, a caminho do mar
Moça do corpo que arde,
Como o sol de Ipanema
Balançado mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi
Passar por mim, não me sinto triste,
Ah, a beleza que existe
A beleza que não é só minha
Que também passa sozinha
Por esse grande universo
Ah, se ela soubesse que quando ela passa
Os astros olham gananciosos
O mundo inteirinho se enche de graça
E fica mais lindo por causa do amor
Manuel Dias
Todos os poemas e textos aqui expostos.
Com direitos de autor

O CENTRO CULTURAL






O Centro Cultural é belo
Eu adorei o teu nome
Deu mais à vida à minha alma...
Queria eu ganhar e não perder
Sei que trabalhar
Para a sociedade é belo
Meu suor correu
Águas doces e límpidas,
Onde correu o meu suor
Pela verdura viçosa
Dos teus jardins, Berlim
Canais e rios
Que me fizeram nascer e crescer
Vi-me moço
Ao longe eu resplandecia
Como uma estrela
Hoje sei que tens gente
Artificial por dentro
Dentro dos seus corações só existe crueldade
E alma impetuosa
Só querem traições
Coisas da velha guarda
Só pensam no bem-estar próprio
E em fortunas
Que adoecem e a adormecem
Querem demolir
As minhas aspirações
Não quero ficar ao redor deles
Travam a minha cultivação
Eu não estou ao vosso lado
Sou somente um poeta
Cresci e pertenço ao breu desta cidade
Foi ela a minha universidade
Gosto de pureza
Não gosto de lavagens ao cérebro
Eu não sou a vossa ovelhinha
Que pasta no vosso ambiente
Imposta pela opressão
Alimentada e manipulada
Que se diz maoista e socialista
Sou independente.

Manuel Dias
Todos os poemas e textos aqui expostos.
Com direitos de autor

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

MINHA ESPOSA É UMA ESPÉCIE DE CATAPUL




Minha esposa seus antepassados são germânicos ela nunca tinha estado no norte da europa já prenunciava palavras germânicas. Alem disso é uma guerreira, nunca a taca seu adversário por trás mas sim frontalmente. Tenho orgulho da minha guerreira.
Sinto nela que tem no sangue de ser tão livremente quanto a mim. Ela também escolheu a mim! Não gosta de se...r forçadas, tudo contra sua vontade. Ensinada a trabalhar para puder garantir seu sustento, bem como uma excelente esposa, e mãe orgulhosa, e igualdade de direitos lhe dá ainda mais força.Minha esposa é, senhora de seu próprio corpo ela percebe em si os ciclos da natureza, ela deu há luz dois homens. Pensa em tudo e diz tudo o que pensa,As mulheres do norte de Portugal são Todas as mulheres cruzadas de celtas são senhoras de si mesmo e conseguem dominar os maridos fracos. As mulheres celtas, eram temidas por seus oponentes, pois elas eram treinadas ao manejo das armas, mas também amavam seus filhos e seus maridos, com muita paixão e para defendê-los, golpeavam e matavam selvagemente seus inimigos. Suas ações eram tão fulminantes, que se dizia que todas elas se convertiam em uma espécie de catapulta. Pode-se mesmo afirmar, que essas mulheres, protegidas da Deusa, manifesta em seu aspeto mais terrível, as convertiam em inimigas invencíveis.O Norte de Portugal e a Galiza (Noroeste da Espanha). Nestas regiões os traços linguísticos celtas sobrevivem nos topónimos, nalgumas formas linguísticas, no folclore e tradições. Minha esposa é, senhora de seu próprio corpo ela percebe em si os ciclos da natureza, ela deu há luz dois homens. Pensa em tudo e diz tudo o que pensa, Suas ações eram tão fulminantes, que se dizia que todas elas se convertiam em uma espécie de catapulta. 


Minha única mulher

Não Há Montanha Alta o Suficiente
Quando precisas de mim
Não há obstáculos tao grandes
Não há espinhos nem pedras o suficiente
Não há rios revoltosos que me impeça
De chegar até a ti,
Estou sempre ao pé de ti
A onde eu esteja
Não importa a distância
Apenas chama-me, sou como a luz
Rápido e fiel, num segundo
Não precisas de preocupar-te
Porque, querida...
Não há obstáculos tao grandes
Não há espinhos nem pedras o suficiente
Não há rios revoltosos que me impeça
De chegar até a ti,
Amor lembra dos dias de crise
Que eu te liberto, faço tudo por ti
Podes sempre contar comigo,
Tu és a minha única mulher
E desde então
Foi a minha promessa que eu te fins
No dia do nosso casamento
Não há obstáculos tao grandes
Não há espinhos nem pedras o suficiente
Não há rios revoltosos que me impeça
De chegar até a ti!
Eu sou teu esposo 
O nosso amor está vivo
No fundo do meu coração
Mesmo se estivermos milhas de distância
Estarei sempre ao teu lado
Tu é meu único amor
Minha única mulher
Carlos J. Pombo

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Meu amor






Meu amor
Não me tragas
qualquer tipo de flores  
porque ainda não morri…
Alem disso elas
no outro dia morrem,
Traz-me carinhos para mim
Amor e amizade!
Fala-me com uma voz doce
Com voz meiga
E ais ferozes
Traz-me o futuro e o caminho
E tempero de amor
Carlos J Pombo
                 

sábado, 5 de setembro de 2015

VIBRAÇÕES

Vibrações estão presentes
Nos meus primeiros dias de vida
Biliões de criaturas ...
Vibram dentro de mim
Apitos e tambores,
Vibratória como essência.
Estes instrumentos
Dentro de mim têm importância
Fazem parte da minha vida humana
Meu sistema biológico
Envolve alguma forma de vibrações.
Ouve-se porque o meu sistema vibra,
Vê-se porque ondas luminosas se propagam.

Minha mente é um transmissor
Transmite ao mundo minhas ideias,
Transmite pelo eta.
A minha respiração,
Vibrações dos meus pulmões,
Meus batimentos cardíacos
Movimentos vibratórios do meu coração,
Minha fala,
Vibração das minhas cordas vocais
Meus movimentos
Oscilações de todo o meu corpo
Campos da minha atividade,
Meu comportamento
Sou biologia,
Sou química,
Sou física!
Sou humano
Sou humanidade
Sou mesmo física
Carlos Pombo
Clica com o rato na foto

===================

VIBRATIONS
Vibrationen vorhanden sind
In meinen frühen Tagen des Lebens
Milliarden von Kreaturen
Vibrieren in mir
Pfeifen und Trommeln,
Vibrations als Wesen.
Diese Instrumente
In mir sind wichtig
Ein Teil meiner menschlichen Lebens
Meine biologische System
Es handelt sich um eine Form von Vibrationen.
Sie hören, weil mein System schwingt,
Es ist zu sehen, wie Lichtwellen ausbreiten.
Mein Geist ist ein Sender
Vermittelt der Welt meine Ideen,
Überträgt die ETA.
Mein Atem,
Vibrationen meiner Lunge,
Mein Herz schlägt
Vibrationsbewegungen meines Herzens,
Meine Rede,
Vibration der Stimmbänder
Meine Bewegungen
Schaukeln am ganzen Körper
Meine Tätigkeitsfelder,
Mein Verhalten
Ich bin der Biologie,
Ich bin Chemie,
Ich bin Physik!
ich bin menschlich
ich bin die Menschheit
Ich bin sogar körperliche
Carlos Pombo

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Apresentação

Este livro conta a minha história de vida, porque senti-me um pouco perseguido pelas memórias do passado e pelos traumas da sociedade e pela guerra colonial.São Momentos difíceis da minha vida de criança e de jovem.Hoje valorizo muito os meus pais porque reconheço que as suas vidas também não foram nada fáceis.Um ser humano não veio ao mundo para levar com o peso da família, da sociedade e ser utilizado, carne para canhão, mas sim com o objetivo de ser amado respeitado.Sem esta história, este livro não seria possível de ser realizado. Por vezes surpreende-me como alguns seres humanos consegue ultrapassar todas as barreiras da vida.Eu foi um deles, fui subido degrau a degrau, nós seres humanos somos uma criação surpreendente.Meu livro existe para revelar o que esta escondido por detrás vida.   Milhares tombaram ao lado dos meus camaradas, mas eu não cai!A fé, auto estima, acreditar, sofrer chorar e lutar sempre foi o meu lema. Sofrer até á exaustão, para não morrer. Mas sim Vencer!Foi o que eu aprendi nas forças de intervençãoQuantas vezes dou por mim recordado o passado, a sorrir ou a chorar, são recordações que me deixaram marcas na minha alma.Estou neste milénio, eu venci e continuarei a vencer, para conforta a meu espirito…São memórias duma, vida sofrida mas eu venci
Meus passos ficaram para trás, posso Olhar para trás... Mas eu vou com o sentido de seguir em frente, pois há muita gente que precisa que eu chegue para poderem-me seguir; meus irmãos parentes espalhados pelo mundo e amigos e outros mais Muito obrigado pela vossa atenção, Obrigado



domingo, 24 de maio de 2015

UM MUNDO MITICO


 Lembro-me da monotonia de estar fechado em casa, sem ninguém, sem uma festinha, sem o consolo de mãe… eram horas infinitas para ali sozinho. Talvez por isso tenha sido um chorão, que não se sentia no banho linguístico, porque não estava dentro do estádio de palavras-frases. Os meus pais e os meus dois irmãos mais velhos nunca conseguiram datar, ou ouvir, com certeza, o aparecimento das minhas primeiras palavras significativas. Nunca tive aquela família paciente, aquele círculo familiar! Porque eu nasci no mundo de “cegos e surdos”.
Enquanto fechado, olhava por detrás dos vidros da janela - com vista para o campanário da torre da igreja do Alto da Ajuda -, e lá estava o galo. Um galo que representava um novo dia. E imaginava…

Imaginava dois seres… uma mulher e um homem, ali, juntinho ao galo, numa pura representação do amor.
Na minha imaginação, este galo e estes seres transportavam-me para um mundo mítico, que eu não conhecia e que, sem conseguir perceber por que motivo, me parecia cada vez mais atraente.

 Fechava os olhos e insistia nos ambientes mais ocultos, e comecei a perceber o porquê do fascínio repentino e crescente que me inundava a mente. Sentia-me muito feliz com a minha imaginação, com o poder da mente.
 Foi assim que comecei a utilizar a mente para gerar uma energia negativa/positiva, para transportar o eu e transformar o pensamento em dor. Bastava eu pensar em dores de cabeça, febre ou ataques de tosse para, repentinamente, me aparecerem esses sintomas. Tudo isto para atrair a atenção e conseguir uma semana do calor da minha mãe.

 mdp

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O MEU DESTINO
O meu destino era obedecer um só comando: Sobreviver!
Quando a minha mãe andava grávida de mim, Eu, era um Feto. Apercebia-me pelas reações e conversas entre a minha mãe e doutras pessoas que não estava planeado. Ouvia vozes que vinham do exterior, era um som abafado, o que me chegava; - As vozes boas sossegavam o meu espírito, as más alteravam e adrenalina de minha mãe, aumentando a ansiedade do meu ser, e minha respiração excitava-se. Quando sentia a dor ou o desconforto de minha mãe reagia esperneava, agitava todos os meus membros, por todos os lados, porque o meu desenvolvimento e a minha vida dentro do ventre de minha mãe estava em perigo!
O ambiente e a vida de trabalho que minha mãe levava, o cansaço, e o lar, a pressão da sociedade são formas que levam a mortalidade infantil. Eu tinha porém um fator em mim; tempo, espaço, energia e vida, o meu ser obedecia a um só comando: Sobreviver. Queria ultrapassar a meta de Feto. Queria nascer, libertar-me para a luz do mundo. Esforçava-me vivamente nesses momentos na minha atividade dentro útero, descobrir sem descanso os resultados interessantes para poder enfrentar o mundo físico. Era um Feto com numerosos reflexos, cada semana transformava-me rapidamente os meus movimentos, eu queria-me manifestar-me: aqui estou eu.
O meu nascimento assinala a passagem de vida, do ventre de minha mãe, para a minha existência autónoma e, por este motivo o início da minha respiração automática fora de água, além disso, a passagem de um meio líquido, para, o meio gasoso. No meio líquido era leve, de um momento para um outro sentia-me brutalmente pesado, que mal podia mexer-me e me vai criar estados de incómodos.
Desenvolvi uma dinâmica de sobrevivência. O meu organismo transformou-se numa força repulsiva contra a um zigoto eu sou uma nova criança. Em mim existe uma nova vida de sobrevivência, no meu corpo de criança existe uma informação genética, - isto é -, uma nova forma de vida. Desde o ventre de minha mãe, enquanto feto, fui sempre uma criança auto determinada, sou sensível e racional. Esta é a forma de vida que funciona em mim como potencial, de sobrevivência.
mdp

Copyright 2010 by Carlos J. Pombo que reserva todos os direitos de autor. Modelo Simples.

domingo, 11 de janeiro de 2015


    Noites dum poeta
    Quando escrevo um poema,
    Escrevo de dia ou à noite,
    Onde se banha a ternura ...
    E os aís do amor.
    Foi algo mágico
    Que faz tira os pés do chão
    Escolhem os lugares de ontem,
    E os jardins levantaram uma brisa perfumada
    Das flores dos passos públicos.
    Escrevo por vezes à meia-noite
    Escrevo o poema,
    Onde o vento desfez a noite,
    Um casal assustados grita de amor
    Antes da imensidão do desejo.
    Enquanto de noite o poeta imagina
    As cores vermelha das cereja,
    Da sua Deusa do amor
    São coisas da mente
    Os corpos reagem ao silêncio
    Ambas as entidades desejam,
    O encontro sobre o leito,
    Suspiros palavras verdadeiras ou falsas?
    Só a consciência é que sabe.
    Foi algo mágico
    Noite De Amor...
    Que tira os pés do chão
    E agora como poeta,
    Perdi completamente a razão
    Rastros de ternura pelo meu espirito
    Tenho alguém nos meus braços,
    Não palpável e nem se vê
    Só sou eu único homem e poeta que a vê.
    Chegastes com teus toques
    seus dedos finos e suaves
    seu manto azul suave
    Teu corpo é todo meu
    Teus beijos quentes
    Vens depô-los na minha boca
    Com fantasias envolventes
    Nossas mentes cheia de delírios
    Tentação que nos provoca por vezes
    A reprodução desse amor
    Autor: mdp

    `````````````````