quinta-feira, 10 de outubro de 2013

PÔR DO SOL

No resplendor do por do sol

Neste preciso momento
Abro a janela
Olho para o horizonte
Contente, oiço os rouxinóis
Esse cair do dia me expira
Escrevo um poema
De primavera
Tão doce suave e terno
Oiço música de fundo
Eu, renasço  
Minha alma se purifica
Eu chamo todas as Deusas
Para me iluminar
Eu chamo para me libertar
Abro, alegre cérebro
A luz preciosa
Que fará florir a minha mente
Momento de alegria,
Em que escuto
essa maravilhosa melodia. 

Sem comentários:

Enviar um comentário